A Vida no Centro

Farol Banespa, novo nome do Banespão
Publicado em:
Tempo de leitura:5 minutos

Visitamos o Farol Santander, antigo Banespão. Veja como é por dentro

Farol Santander tem 18 andares abertos ao público, com móveis históricos, arte imersiva, pista de skate a café com vista para a cidade. Veja fotos

O edifício Altino Arantes, mais conhecido como Banespão, ganhou novo nome: Farol Santander. Rebatizado e reformado, ele reabre  à visitação no dia 26 de janeiro, como um espaço artístico, cultural, histórico e também sediando um projeto de estímulo ao empreendedorismo e startups. Dos 34 andares do edifício, construído em 1947, 18 serão abertos ao público, mediante pagamento de ingresso.

Farol Santander, reformado e rebatizado

Farol Santander, reformado e rebatizado

O antigo mirante do edifício, o farol propriamente dito, permanecerá fechado, mas um mirante foi criado no 26º andar, onde foi instalada uma unidade do Café Suplicy, com decoração art déco. São dois corredores, protegidos por vidros altos, com uma boa vista do centro de São Paulo, alcançando até a Serra da Cantareira, no lado norte da cidade.

As visitas começarão pelo hall do andar térreo, um dos tombados pelo Condephaat (assim como o 2º, 3º, 5º, 6º e mirante), e seguirão até o mirante do 26º andar.

Móveis de época, produzidos pelo Liceu de Artes e Ofícios. Foto: Denize Bacoccina

Móveis de época, produzidos pelo Liceu de Artes e Ofícios. Foto: Denize Bacoccina

Quando decidiu reabrir o edifício, fechado para visitação desde 2015 e usado apenas para funções administrativas, o banco procurou um grupo de curadores para cada área.

Entre eles estão Facundo Guerra e Tatiana Wlasek (Storymakers), a cargo das exposições de Arte Imersiva. Guga Ketzer (Suno United Creators), responsável pelo Loft do 25o por Triptyque, pista de Skate por Bob Burnquist, Oficina de Sucata por Marcelo Stefanovicz e uma Vista 360 por Vik Muniz. Ana Carla Fonseca e Alejandro Castañé (Garimpo de Soluções), idealizadores da Arena de Economia Criativa e Baixo Ribeiro (Choque Cultural), que desenvolveu intervenção artística na Arena e na pista de skate. Nos andares de memória, que reproduzem ambientes de trabalho do banco na época de sua fundação, a consultoria foi do professor Paulo César Garcez e o projeto expográfico do Bruno Ogura (Case Lúdico).

A intenção do Farol Santander, de acordo com o banco espanho, é ser um elemento de conexão entre os cidadãos, sua capacidade, identidade cultural e relação social afetiva, e com isso contribuir para a revitalização do centro histórico de São Paulo.

Veja aqui os outros mirantes do centro de São Paulo.

História como Banespão

Quando foi inaugurado, como sede do Banco do Estado de São Paulo (Banespa), era a mais alta construção em concreto armado do mundo e o maior edifício da América do Sul, ocupando este posto até 1960, quando perdeu a dianteira para o Mirante do Vale, do outro lado do Anhangabaú. Nesta época, foi rebatizado de Altino Arantes, em homenagem ao primeiro presidente brasileiro do banco (que em sua origem era de capital francês).

Em 2014 partes do edifício foram tombados pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo), como o saguão, o caixa-forte, o mirante, e alguns dos seus andares, onde originalmente situavam-se o salão nobre e as dependências da presidência e diretorias.

Veja aqui fotos dos andares que estarão abertos ao público e o que você ver em cada um deles.

Serviço:

Farol Santander

Rua João Brícola, 24 – Centro (estação São Bento – linha 1, azul do metrô)
Site Farol Santander: farolsantander.com.br
Funcionamento: terça a domingo, das 9h às 20h
Ingressos: site e bilheteria física no local – Bilheteria: das 9 às 19h

Preços:
Combo 1 – Espaço Memória + Arte Imersiva + Mirante R$ 20,00

Combo 2 – Espaço Memória + Mirante > R$ 17,00
Combo 3 – Arte Imersiva + Mirante > R$ 17,00
Combo 4 – Debates de Economia Criativa + Mirante > R$ 17,00

Combo 5 – Mirante > R$ 15,00
Pista de Skate – R$ 50/hora
Loft: R$ 4 mil/diária – Reservas AirBnB