Assine nossa Newsletterfique por dentro de tudo o que rola no centro

A Vida no Centro

Galeria do Rock: prédio projeto em 1961 se mantém moderno e impressiona até hoje. Foto: Clayton Melo

De ponto de gangues a passeio descolado: veja fotos da Galeria do Rock

Um dos mais belos prédios comerciais do centro, Galeria do Rock também atrai apaixonados por arquitetura. Veja fotos

Quem vai à Galeria do Rock hoje vai encontrar um clima agradável e familiar.  Bem diferente das últimas décadas do século passado, quando o lugar abrigava até tráfico de drogas e brigas de gangues. Pais roqueiros levam seus filhos adolescentes para passear no fim de semana, ver as novidades e contar para eles histórias de quanto frequentavam o lugar quando ele ainda era maldito e tinham que se preparar para ir ao local com o amigos. Veja aqui a história de como ela mudou de perfil ao longo do tempo e uma entrevista com o síndico, Antonio de Souza Neto.

As instalações estão em bom estado e há uma grande variedade de lojas, a maioria ligada de alguma maneira à cultura jovem. O que atrai também gente que nem tem ideia da história – e das histórias – do lugar. Se antes a maioria das lojas era de LPs e CDs de rock e Hip Hop, hoje o local tem lojinhas de skate, artigos para o público nerd, cervejaria, bonequinhos de astros de rock e personagens de desenho animado, além de produtos veganos, moda, acessórios de decoração e por aí vai.

Veja aqui a lista de lojas e programação de eventos.

Fotos da Galeria do Rock

A galeria tem um outro atrativo. Suas linhas curvas atraem também os amantes da boa arquitetura, saudosos da época em que o centro de São Paulo reuniu a nata da arquitetura modernista mundial para criar edifícios que promoviam uma perfeita integração entre o espaço público e privado – como mostra o livro São Paulo nas Alturas, de Raul Juste Lores.

Oficialmente chamada de Grandes Galerias, foi projetada pelo casal de italianos Maria Bardelli  e Ermanno Siffredi. Mas assinada pelo construtor, Alfredo Mathias, já que os italianos nunca revalidaram seus diplomas no Brasil e não tinham registro no conselho de arquitetos.

Veja também:

SP 100 anos depois: vídeo mostra mudanças na paisagem urbana em um século

Maria pensou nos mínimos detalhes: a abertura maior nos andares superiores para permitir a entrada de mais luz, o piso diferente em cada andar, criando um efeito quando vistos em conjunto, os metais cor de laranja, em contraste com a luz que entra de fora.

Confira abaixo uma galeria com fotos que mostram o que é a Galeria do Rock hoje.