A Vida no Centro

Galeria Metrópole
Publicado em:
Tempo de leitura:5 minutos

Conheça os bares da Galeria Metrópole

Galeria que foi o centro comercial mais luxuoso de São Paulo nos anos 1960 e viveu período de decadência ressurge como ponto de escritórios de arquitetura, design, bares e cafés descolados. Conheça os locais

Nos anos 1960, quando foi construída, a Galeria Metrópole era um dos centros comerciais mais luxuosos de São Paulo. Tinha lojas, restaurantes, café, cinema e um belíssimo jardim interno, com uma arquitetura de tirar o fôlego. Tudo isso numa avenida que, naquela época, tinha ares parisienses, cercada de prédios lindos e a agradável Praça Dom José Gaspar.

A Metrópole ainda abrigava boates da moda e bares frequentados pela nata da intelectualidade da época, como o compositor Chico Buarque, que várias vezes citou o Sand´s Churra como um local de inspiração.

Mas o bom momento durou apenas uma década e em meados dos anos 70 o centro já estava degradado, afastando a clientela sofisticada dos anos 60. As lojas começaram a ser ocupadas por costureiras, lojinhas de conserto e inúmeras agências de viagem. O comércio sofisticado migrava para os jardins e os bairros ganhavam seus shopping centers.

Leia também: VOLTA AO MUNDO EM 20 BARES E RESTAURANTES PERTO DO COPAN

CONHEÇA TODOS OS BARES DA PRAÇA ROOSEVELT, O POINT DA BOEMIA NO CENTRO DE SÃO PAULO

Nos últimos anos, com o processo de retomada do Centro, a Metrópole foi descoberta por escritórios de arquitetura e designers, atraídos pela combinação de boa arquitetura e boa localização. Acabou virando um point de designers, como mostra matéria da revista QG.

A renovação do público também se repetiu à noite, e hoje o Metrópole é um dos lugares mais legais tanto para uma balada quanto para uma comidinha rápida com uma cerveja ou um drinque. São várias as opções, e a gente fez uma listinha, andar por andar, pra não deixar passar nada.

Confira o que rola na Galeria Metrópole, começando pelo subsolo

Jettsons - Galeria Metrópole

Jettsons

Descendo a escada rolante perto da entrada principal tem o Jettsons, um misto de café, bar e brechó que vai fazer você pensar que saiu de cara num túnel do tempo e desembarcou na casa da sua avó. Em dia de festa. Os avós festeiros foram a inspiração da proprietária, Fabiana Generoso, que garimpou móveis, tapetes e utensílios de cozinha dos anos 1970 para ambientar seu café, todo em cores laranja e marrom e estampas psicodélicas da época. À venda, de vinis a armações de óculos – tão originais que algumas ainda têm lentes de grau. No cardápio, comidinhas de festas da época: sanduíche de carne louca, batatinha em conserva, mandiopã e sacanagem (espetinho de salsicha, picles e azeitona), elaborados pela chef Thais Koshiyama.

Aberto de segunda a quarta das 12h às 22h

De quinta a sexta das 12h à meia-noite (ou até o último cliente, que pode ser às 3h da manhã)

Segundo andar

É no segundo andar que a noite esquenta. Aqui estão os principais bares e restaurantes, além de um terraço que serve de lounge pra quem quer conversar ou tomar um ar.

Feijão Do Norte

Feijão do Norte

Bem atrás da escada rolante. Cardápio nordestino, com pratos como baião de dois, bobó de camarão, cabrito, moqueca, buchada, rabada e sarapatel. No happy hour, porções como dadinhos de tapioca, cerveja gelada e DJ para agitar a galera, além de uma mesa de sinuca.

Aberto de segunda a quinta, das 11h30 às 22h

Sexta das 11h30 às 23h45

Sábado das 11h30 às 17h

Seguindo à frente e virando à esquerda, fica o corredor que nas noites mais agitadas se transforma em balada, junto com o terraço em frente à Avenida São Luís.

Mandíbula

Mandíbula

Foi um dos responsáveis por atrair esse público novo ao Metrópole, com seus DJs que variam a cada dia da semana. Não cobra entrada nem consumação. O lugar é minúsculo, mas dá para ficar no corredor se estiver muito apertado. Confira no Facebook o som que vai rolar no dia.

Aberto de segunda a sexta, das 18h à 1h

Metropol

Metropol 

Com uma decoração que lembra um cabaré e poltronas confortáveis para sentar e tomar um drinque conversando com os amigos ou apreciando o movimento, virou ponto da turma que aprecia música boa, um sofá pra bater papo e drinques que vão da cerveja long neck a coquetéis. A música varia a cada dia da semana, com som de DJ ou ao vivo. É bom checar o Facebook pra ver o que está rolando.

Satisfatto

Satisfatto

Não dá para beber, dançar, paquerar ou bater papo com os amigos sem se reabastecer de vez de quando, não é? Aqui tem sanduíches e porções para recarregar as energias. Destaque para o hambúrguer com pão de tomate com pimenta.

Segunda a quarta das 18h às 23h

Quinta e sexta das 18h à 1h

Terceiro andar

Pensa que acabou? Que nada, atravessando o corredor tem outro par de escadas rolantes levando ao terceiro piso.

Prosa e Vinho

Prosa e Vinho

Mistura de loja e bar, a casa montada pelos sommeliers Daniela Peres e Rubens Lastri quer mostrar que é possível tomar vinhos de qualidade a preços acessíveis. A loja tem 370 rótulos à venda, dos quais cerca de 15 estão no cardápio diariamente, por preços entre R$ 8 e R$ 25 a taça. Para comer, deliciosas empanadas argentinas ou, na hora do almoço, opção de pedir entrega de um dos restaurantes da Galeria. Fica próximo ao terraço e oferece uma bela vista da Praça Dom José Gaspar e da Biblioteca Mário de Andrade.

Segunda a sexta, das 12h às 22h e sábado, das 11h às 18h

Galeria Metrópole

Onde: Entrada pela Avenida São Luis, 187, ou pela praça Dom José Gaspar.
Horário: A noite pode acabar tarde, mas tem que começar cedo. Os bares do segundo andar fecham às 2 horas alguns dias da semana, mas só é possível entrar na galeria até às 22h de segunda a quarta e até meia-noite quinta e sexta. Sábado, os bares não abrem à noite e a galeria fecha às 18h.