Assine nossa Newsletterfique por dentro de tudo o que rola no centro

A Vida no Centro

Meow! (1981). Direção: Marcos Magalhães

Animação brasileira é destaque em mostra de curtas no Itaú Cultural

Seleção de 15 curtas importantes será apresentada nos dia 6 e 13 de setembro no Itaú Cultural, celebrando o centenário da animação no Brasil

Publicado em:
Tempo de leitura:5 minutos

O Itaú Cultural apresenta nesta e na próxima quarta-feira, dias 6 e 13 de setembro, às 20h, a Mostra de Curtas: Animação Nacional. São 15 filmes marcantes para o gênero no Brasil, reunindo diferentes técnicas, como stop motion e 2D, em um apanhado de obras que foram representativas para a produção da área nas últimas décadas. Este ano se comemora o centenário da animação brasileira.

Entre os destaques, há a exibição de Reanimando o Kaiser, uma recriação coletiva presente no documentário Luz, anima, ação, dirigido por Eduardo Calvet, e realizada pelos animadores Marcelo Marão, Zé Brandão, Pedro Iuá, Stil, Rosana Urbes, Diego Akel, Marcos Magalhães e Fabio Yamaji. Conhecido como o primeiro curta-metragem de animação brasileiro, O Kaiser foi feito em 1917 pelo cartunista Álvaro Martins (Seth), uma charge animada que fazia alusão ao contexto geopolítico internacional daquela época, à sombra de uma guerra mundial.

Por falta de preservação adequada o filme foi perdido, restando apenas uma imagem de referência. Em 2013, Calvet convidou os oito animadores, nomes importantes para a animação nacional, para recriar a obra. O resultado é um trabalho denso, reflexivo e metalinguístico único, que evidencia a diversidade da animação feita no Brasil.

Mulheres na animação

A Mostra de Curtas: Animação Nacional traz, ainda, filmes dirigidos por mulheres, em um cenário audiovisual no qual a presença masculina é predominante. Em Guida, de 2014, dirigido por Rosane Urbes, é apresentado um ensaio sobre o processo de retomada da inspiração artística, por meio da sensibilidade criativa da personagem que dá nome ao filme.

No dia 6 de setembro a partir das 20h, são exibidos sequencialmente os filmes: Meow! (1981), de Marcos Magalhães, Castelos de Vento (1998), de Tania Anaya, O Quinto Andar (2012), de Marco Nick, O Céu no Andar de Baixo (2010), de Leonardo Cata Preta, Reanimando O Kaiser (2013), de Eduardo Calvet, Guida (2014), de Rosana Urbes, e Yansan (2006), de Carlos Eduardo Nogueira. A classificação indicativa para este dia é de 14 anos.

Almas em Chamas (2000). Direção: Arnaldo Galvão

Almas em Chamas (2000). Direção: Arnaldo Galvão

No dia 13 de setembro, também às 20h, são apresentados os curtas-metragens: O Projeto do Meu Pai (2016), de Rosaria Moreira, Giz (2015), de Cesar Cabral, Almas em Chamas (2000), de Arnaldo Galvão, O Divino, De Repente (2009), de Fabio Yamaji, Órun Àiyé: a Criação do Mundo (2015), de Jamile Coelho e Cintia Maria, Tyger (2005), de Guilherme Marcondes, Grafitti Dança (2013), de Rodrigo EBA!, e Viagem na Chuva (2014), de Wesley Rodrigues. Neste dia, a classificação indicativa é de 18 anos.

Leia também:

TEM UM PROJETO ARTÍSTICO? O ITAÚ CULTURAL VAI LIBERAR R$ 15 MILHÕES PARA PROJETOS CULTURAIS; VEJA COMO CONCORRER

CONHEÇA A NOVA SEDE DO IMS, NA AVENIDA PAULISTA, QUE TERÁ ARTE CONTEMPORÂNEA, TEATRO, CINEMA, SHOWS E PRAÇA NO 5º ANDAR

 

SINOPSES

Meow!
Direção de Marcos Magalhães, 1981 –  8’

Um gato é disputado por dois donos. Um tem pouco leite para alimentá-lo e o outro tenta de todas as formas acostumá-lo a beber um refrigerante chamado Soda-Cólica.

Castelos de Vento
Direção de Tania Anaya, 1998 – 8’

Destruir casas e arrastar pessoas pode ser obra do vento, ou do amor.

O Quinto Andar
Direção de Marco Nick, 2012 – 7’40”

O encontro entre a morte e um homem por trás de seus segredos.

O Céu no Andar de Baixo

Direção de Leonardo Cata Preta, 2010 – 15’

Desde os 12 anos de idade, Francisco faz fotografias de céu. Um dia, algo diferente aparece em uma de suas fotografias mudando a sua rotina.

Reanimando o Kaiser

Direção de Eduardo Calvet, 2013 – 4’

Recriação coletiva de O Kaiser, curta-metragem considerado o marco zero da animação brasileira.

Guida

Direção de Rosana Urbes, 2014 – 11’20”

A personagem título da animação, uma doce senhora que há 29 anos trabalha como arquivista no Fórum João Mendes Jr., tem sua rotina entediante modificada quando decide posar como modelo vivo em um centro cultural da metrópole. Por meio da sensibilidade criativa de Guida, o filme apresenta um ensaio sobre o processo de retomada da inspiração artística.

Yansan

Direção de Carlos Eduardo Nogueira, 2006 – 18’

Yansan e Xangô vieram juntos ao mundo no mesmo dia. Eles morrerão juntos no mesmo dia.

O Projeto do Meu Pai

Direção de Rosaria Moreira, 2016 – 5’40”

O filme traz a história de um pai divorciado, a partir da perspectiva de sua filha.

Giz

Direção de Cesar Cabral, 2015 – 8’20’’

Um homem vive a rotina sem descanso em uma imensa corporação. Incapaz de se relacionar com sua colega de trabalho, ele será questionado por um sonho hipnótico, até o ponto em que não poderá mais perceber se está realmente acordado.

Almas em Chamas

Direção de Arnaldo Galvão, 2000 – 11’

Ao resgatar uma mulher de um edifício em chamas, um bombeiro é envolvido em um caso de amor incendiário com terríveis consequências. Filme de animação premiado dirigido ao público adulto.

O Divino, de Repente

Direção de Fabio Yamaji, 2009 – 6’

Documentário animado com ficção experimental sobre Ubiraci Crispim de Freitas, um brasileiro comum conhecido por Divino. Trata-se de um filme contado em palavras, cantado em repentes e legendado em desenho animado. Além do live-action, várias técnicas artesanais de animação, sem uso de computador, compõem o filme: flipbook, desenho animado, rotoscopia, pixilation e stop motion.

Òrun Àiyé: A Criação do Mundo

Direção de Jamile Coelho e Cintia Maria, 2015 – 12’

O vovô Bira (Carlos Betão) narra para a sua neta Luna (Fernanda Crescencio) como os deuses africanos Olodumaré (João Miguel), Orunmilá (Jorge Washington), Oduduwa (Fábio de Santana), Oxalá (Carlinhos Brown), Nanã e Exú interagem para criar a Terra e os seres humanos.

 Tyger

Direção de Guilherme Marcondes, 2005 – 5’

Um enorme tigre aparece misteriosamente em uma grande cidade. Ele vai revelar a realidade escondida numa noite que poderia ter sido como qualquer outra.

Graffiti Dança

Direção de Rodrigo EBA!, 2013 – 6’

Na São Paulo do século XXI, personagens de graffiti dançam uma canção dos anos 1950. Curta-metragem feito com elementos de arte urbana espalhados pela metrópole brasileira de 11 milhões de habitantes, como uma forma de chamar atenção ao processo de animação e ao próprio espaço urbano.

Viagem na Chuva

Direção de Wesley Rodrigues, 2014 – 12’

A chuva, assim como o circo, percorre um longo caminho até seu lugar de destino. Quando os dois se vão, ficam as lembranças.

SERVIÇO

Mostra de Curtas: Animação Nacional
Quando: 6 e 13 de setembro (quarta-feira), às 20h

Onde: Sala Itaú Cultural

Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô

Fones: 11. 2168-1776/1777

Acesso para pessoas com deficiência / Ar condicionado

Gratuito

Distribuição de ingressos:

Público preferencial: 2 horas antes do espetáculo (com direito a um acompanhante)

Público não preferencial: 1 hora antes do espetáculo (um ingresso por pessoa)