A Vida no Centro

Publicado em:
Tempo de leitura:5 minutos

Reforma do Vale do Anhangabaú; veja como estão as obras

Reforma do Vale do Anhangabaú prevê fonte de água, novo piso, cafés e quiosques; saiba mais e veja imagens do projeto e das obras

[EDIT 30 JULHO DE 2020] A reforma do Vale do Anhangabaú já tem nova data de conclusão: 20 de setembro. As obras do espaço principal, entre o Viaduto do Chá e a Avenida São João já estão bem adiantadas e os trabalhos agora se concentram no trecho entre a São João e o Viaduto Santa Ifigênia.

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter para ficar por dentro de tudo o que rola no centro

O novo piso será de concreto, facilitando a acessibilidade, com instalação de quiosques para facilitar a permanência  no local, que hoje serve como passagem. A Avenida São João, que antes era interrompida no fundo do vale, agora será contínua, desde a Praça Antônio Prado, onde começa, atravessando o Vale e seguindo em direção ao Paissandu.

Avenida São João – Vale do Anhangabaú – julho de 2020

O custo inicial da obra, de R$ 80 milhões, já foi ultrapassado e o novo orçamento é de R$ 93,8 milhões, conforme divulgado no início de julho pela Prefeitura. De acordo com o G1, o Consórcio Central, formado pelas construtoras FBS Construção e Lopes Calil Engenharia, pediu a alteração contratual baseada em imprevistos que encontrou após o início das obras, como necessidade de aumento da altura do piso para instalação do sistema de jato d´água, interferência das redes de telefone, água, esgoto e gás e alterações no projeto a partir da reivindicação de skatistas, já que as escadas usadas por eles foi eliminada no projeto inicial.

LEIA TAMBÉM
A história do Vale do Anhangabaú: conheça as mudanças ao longo do tempo e veja fotos

O cronograma de entrega também foi adiado, já que a primeira data era entrega parcial em maio e total em junho. De acordo com a Prefeitura, a pandemia do coronavírus não paralisou as obras, mas obrigou readequações de horários das equipes, por segurança.

Vale do Anhangabaú reforma

Vale do Anhangabaú – julho de 2020

Além de tornar o piso acessível, o ponto central do projeto é a instalação de fontes de água que podem ser desligadas para permitir a realização de shows no espaço central, como ocorria antes da reforma, quando o palco era instalado embaixo do Viaduto do Chá e o público ficava espalhado em toda a extensão do vale.

A manutenção e exploração comercial do local será feita por uma empresa privada. O processo de concessão está em andamento, ainda sem data para conclusão. Os detalhes do edital estão aqui.

Veja como está o andamento da reforma do Vale do Anhangabaú (fotos mais recentes em julho de 2020):

Veja o projeto do novo Anhangabaú

O ponto central do projeto é a instalação de um sistema de águas dançantes, com uma fonte com 850 pontos de jatos d´água, que ficam abaixo do piso e podem ser ligados e desligados de forma automática, permitindo a realização de eventos quando a fonte está desligada.

O projeto prevê ainda a instalação de cafés, floriculturas, sanitários, ludoteca, entre outras atividades que farão parte da vida cotidiana do Vale.

As ruas Formosa e Anhangabaú serão dotadas de quiosques, bancas de jornal, ludoteca, abrigadas dentro de um novo mobiliário urbano. O objetivo é favorecer a permanência da população e a apropriação do espaço e haverá bancos e cadeiras para mais de 1.500 lugares, além de bebedouros, lixeiras e paraciclos.

Veja imagens do projeto:

O projeto também cria marquises verdes e aumenta o volume de ambientes sombreados, com o plantio inclusive de espécies mais altas, já que o espaço é aberto. No total, serão 480 árvores – 355 já existentes e 125 novas espécies nativas que serão plantadas.

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter para ficar por dentro de tudo o que rola no centro

A iluminação pública será automatizada com um sistema LED de alta eficiência energética, com mais iluminação e economia de energia, aumentando a segurança da região. A infraestrutura de rede elétrica, telefonia e internet será enterrada, com novas galerias técnicas e banco de dutos. Clique aqui para ver o projeto no site da Prefeitura.

Leia mais: REDAÇÕES, MUSEUS, LIVRARIAS DE ARTE: CONHEÇA A EFERVESCÊNCIA CULTURAL DO CENTRO NOS ANOS 1940, 50 E 60

CULTURA ONLINE: TEATRO, CINEMA E EXPOSIÇÕES SEM SAIR DE CASA