A Vida no Centro

Palacete construído por Giuseppe Martinelli para viver com a família, no alto do edifício que era o mais alto da cidade nos anos 1930 e 1940. Foto: A Vida no Centro
Publicado em:
Tempo de leitura:5 minutos

SP Urbanismo publica edital de concessão do terraço do Edifício Martinelli

Concessão do terraço do Edifício Martinelli foi publicada e interessados têm 60 dias para apresentar propostas

A Prefeitura publicou nesta quinta-feira, 27 de agosto, o edital de concessão do terraço do Edifício Martinelli. O edital está disponível neste link.

A concessão inclui os andares 25, 26 e 27 do Edifício Martinelli, além dos espaços comerciais localizados no térreo do edifício, na Avenida São João nº 11. O vencedor terá que implementar e manter o Observatório Martinelli, nestes andares, com um projeto que contemple programa de lazer, entretenimento, cultura e gastronomia e contribuindo para o desenvolvimento turístico e a requalificação urbana da região central da Cidade.

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter para ficar por dentro de tudo o que rola no centro

Além do mirante, o vencedor do edital deverá promover ações culturais e manter um programa de curadoria com espaços expositivos, painéis interativos e acervos relacionados à história do edifício e da cidade. Também serão inaugurados loja, restaurante e um café. Terá que criar ainda um núcleo de recepção e centro de informações turísticas, além de implantar ao menos um novo elevador para atender os visitantes. O passeio será completo, com acesso aos espaços cobertos existentes, incluindo o palacete do Comendador Martinelli.

A expectativa da prefeitura, com a criação do Observatório, é receber, ao menos, 160 mil visitantes anualmente no Martinelli.

O Edifício Martinelli é um dos primeiros arranha-céus do Brasil e da América Latina. Idealizado pelo comerciante italiano Giuseppe Martinelli e projetado pelo arquiteto húngaro Vilmos (William) Fillinger. A construção foi iniciada em 1924 e se arrastou por dez anos, sendo parcialmente inaugurado em 1929, com apenas 12 andares. Nos anos seguintes, Martinelli se esforçou para que o edifício fosse o mais alto da América Latina.

Prazos e condições da concessão do Martinelli

A concessão do Terraço do Martinelli terá prazo de 15 anos. O valor mínimo da concessão é R$ 70 mil mensais. Vence quem pagar o maior acima disso. Além disso, a empresa ou consórcio vencedor terá que pagar ao município 4% do faturamento bruto. O valor estimado do contrato ao longo dos 15 anos, incluindo os investimentos na infraestrutura, é de R$ 46 milhões.

Apesar da situação de pandemia, a expectativa do Município é que o edital atraia diversos interessados. A SP Negócios, agência de promoção de investimentos e exportações da cidade, já promoveu, desde o ano passado, vários encontros com empresas ligadas a arquitetura, eventos e gastronomia para verificar o interesse no projeto.

O edital de concessão foi aprimorado a partir de contribuições feitas pela sociedade civil em consulta pública online disponibilizada no Portal Participe entre janeiro e março de 2020, cujas respostas estão publicadas aqui.

As empresas interessadas têm agora 60 dias para elaborar e apresentar suas propostas comerciais. A abertura dos envelopes ocorrerá no dia 27 de outubro, às 10h, no 15º andar do Edifício Martinelli. A assinatura do contrato deve ser oficializada 30 dias depois.

Leia também: A HISTÓRIA DO VALE DO ANHANGABAÚ: CONHEÇA AS MUDANÇAS AO LONGO DO TEMPO E VEJA FOTOS