A Vida no Centro

Publicado em:
Tempo de leitura:5 minutos

Mês da Cultura Independente traz música, cinema e artes ao Centro de São Paulo

SP na Rua e a Semana da Música Eletrônica, no Centro Cultural Olido, são algumas das atrações no Mês da Cultura Independente, em setembro

O Mês da Cultura Independente (MCI), promovido pela Secretaria de São Paulo durante o mês de setembro, apresenta cerca de 500 atividades em mais de 100 pontos da cidade, ocupando ruas e espaços culturais da cidade. Boa parte dessa programação acontece no Centro, em locais como o Centro Histórico e Centro Cultural Olido.

O evento reúne artistas da cultura independente de diversas linguagens, com shows, peças de teatro, mostras de cinema, debates, seminários, encontros literários e oficinas.

Um dos destaques da programação é o SP na Rua, evento que ocupa as ruas do Centro histórico de São Paulo com dez horas de manifestações artísticas, musicais e performáticas de coletivos urbanos, intervenções musicais e DJs. Este ano, o SP na Rua também abraça o Dia Municipal da Música Eletrônica de São Paulo, que ganha um palco dedicado à data. O MCI traz ainda, no Centro Cultural Olido, a Semana da Música Eletrônica, com diversas atividades entre os dias 22 e 29.

Entre os eventos que serão realizados na região central, o show em homenagem a João Gilberto, “Rei Sem Coroa”, com o cantor e instrumentista Paulo Carvalho e participações das cantoras Mãeana e Nina Becker, do multi-instrumentista Kassin e do guitarrista Pedro Sá, no Centro Cultural São Paulo (14); Live Olido com Teto Preto, no Centro Cultural Olido (05); o show da cantora e compositora Juliana Perdigão, no CCSP (19); Thiago Pethit no CCSP (15) e Sabadão Olido com Metanol (21).

Confira a programação completa no site da Secretaria de Cultura.

Confira os destaques:

SP NA RUA

A 7ª edição do SP na Rua será realizada nos dias 28 e 29 de setembro, das 20h às 6h, no Centro histórico da cidade. O evento também abraça o Dia Municipal da Música Eletrônica de São Paulo, com um palco dedicado ao tema.
O evento leva a intensa vida noturna da cidade para as ruas, em dez horas de manifestações artísticas, musicais e performáticas com coletivos urbanos, intervenções musicais e DJs. A programação conta com 12 pontos de festa e mais de 30 atrações artísticas.

Rua Barão de Itapetininga, Largo do Paissandu e Triângulo SP
Dias 28 e 29/9, das 20h às 6h
Grátis

DANÇA 

CURSO DE PASSINHO

Uma dança descontraída e cheia de gingado, o passinho surgiu nas comunidades cariocas nos anos 2000 e popularizou-se por todo o Brasil. O estilo de dança urbana que ganhou destaque na abertura das Olimpíadas do Rio, em 2016, é o tema das aulas de “passinho foda” de Pablinho Fantástico. Junto com o grupo Dream Team do Passinho, o dançarino, vindo da comunidade da Rocinha, criou o álbum “Aperte o Play”; apresentou-se em turnê por 28 países e participou de um clipe de Ricky Martin e dos shows de Alicia Keys e Fernanda Abreu no Rock in Rio 2017.

Centro Cultural São Paulo – Sala de Ensaio 1
De 3 a 8/9. 3ª a 6ª, das 19h às 20h30. Sáb. e dom., das 16h às 17h30
Grátis. 25 vagas. Inscrições no site.

MÚSICA

JULIANA PERDIGÃO

Para compor as faixas de seu terceiro disco, “Folhuda”, a cantora, instrumentista e compositora mineira Juliana Perdigão adaptou e musicou poemas de nomes como Oswald de Andrade, Paulo Leminski e Arnaldo Antunes. O show traz o repertório do álbum, que mistura rock, punk, reggae, samba e brega, além de canções de Jards Macalé, Torquato Neto, entre outros. No palco, Juliana canta e toca guitarra acompanhada por Gongom (bateria), Moita (guitarra), João Antunes (baixo) e Paulim Sartori (teclado).

Centro Cultural São Paulo – Sala Adoniran Barbosa
Dia 19/9, às 21h

CINEMA 

O CINEMA DE BARBARA HAMMER

A mostra “O Corpo Não É Metáfora” exibe entre os dias 19 e 22 de setembro, no Centro Cultural São Paulo, filmes de Barbara Hammer. A cineasta, que morreu em março deste ano em decorrência de câncer, aos 79 anos, é considerada um dos maiores nomes nos Estados Unidos do cinema queer. Seus mais de 40 filmes discutem assuntos tabus, como sexualidade e relações sexuais entre mulheres. “Dyketactics” (1974) foi o primeiro filme sobre orgasmo com interações lésbicas. A mostra integra o festival “Agora É Que São Elas”, que seleciona mais de 15 filmes exibidos em formato original 16mm.

Centro Cultural São Paulo – sala Spcine Lima Barreto
De 19 a 22/9. Grátis

Programação completa no site da SPCine

MÚSICA

SELVAGENS À PROCURA DE LEI

Com três discos lançados, “Aprendendo a Mentir” (2011), “Selvagens à Procura de Lei” (2013) e “Praieiro” (2016), a banda cearense de rock comemora dez anos de história. Para celebrar apresenta o show de lançamento do single “Intuição”, primeira faixa de seu próximo álbum “Paraíso Portátil”. Com a mesma formação desde o início, o quarteto conta com Gabriel Aragão (guitarra e teclado), Rafael Martins (guitarra), Caio Evangelista (voz e baixo) e Nicholas Magalhães (voz e bateria).

Centro Cultural São Paulo – sala Adoniran Barbosa
Dia 12/9, às 21h

THIAGO PETHIT

Neste show o cantor paulistano apresenta músicas de seu quarto álbum autoral, “Mal dos Trópicos”, que busca elementos na dramaturgia e na musicalidade para narrar o mito de Orfeu sob um viés tropical e urbano. Nas nove faixas, chamadas “atos”, misturam-se clássicos do jazz e do samba, o carnaval de rua e a erudição de Villa-Lobos. Das obras do Teatro Oficina, de Zé Celso Martinez Corrêa, passando pelas boates gay do centro de São Paulo e pela poesia de Roberto Piva, a nova obra é traduzida como um espetáculo de natureza sinestésica.

Centro Cultural São Paulo – Sala Adoniran Barbosa
Dia 15, às 18h

LIVE OLIDO COM TETO PRETO

Depois do sucesso de seu EP “Gasolina” – música que integrou a trilha sonora do filme “Corpo Elétrico” (2017), de Marcelo Caetano – lançado em 2016, a banda eletro orgânica Teto Preto iniciou uma trajetória por renomados festivais brasileiros. O primeiro álbum, o independente “Preta Preta”, chegou em 2018 com oito faixas autorais. Marcado por batidas fortes, o show “ritualístico” reúne, no palco do Live Olido, Laura Diaz (voz), Loic Koutana (performance), Pedro Zopelar e Savio de Queiroz (sintetizadores e bateria eletrônica) e William Bica (percussão).

Centro Cultural Olido – Sala Olido
Dia 5/9, às 20h. R$ 20

MAQUIAGEM

VIVÊNCIA MAKE GUERRILHA     

Coordenada pelas artistas Ramirona e Alma Negrot, a vivência utiliza a maquiagem como ferramenta de autoconhecimento e poder. A atividade não faz distinção de gênero, sexualidade, idade ou formação social. Nos encontros, alternam-se momentos (per)formativos, expositivos e práticos, que abrem o debate sobre desdobramentos históricos e contemporâneos relacionados à identidade de gênero, terrorismo urbano e subjetividades do corpo, por meio de técnicas de caracterização e conceitos de maquiagem contrários às visões normativas sobre beleza e padrões estéticos.

Centro Cultural São Paulo – Sala de Debates (Piso Caio Graco)
De 21 a 29/9. 3ª a 6ª, das 18h às 20h. Sáb. e dom., das 15h às 18h.
Grátis. Inscrição: 1º a 15/9 (preencher formulário)

CINEMA

MOSTRA DE FILMES DE MÚSICA ELETRÔNICA

O cineasta e escritor Lufe Steffen assina a curadoria da Mostra de Filmes de Música Eletrônica, exibida em setembro na sala Spcine Olido. A programação é gratuita e apresenta, em todas as segundas-feiras do mês, os filmes: “A Volta da Pauliceia Desvairada” (2012), de Steffen (dia 2) / “Curtas – A Noite Eletrônica dos Anos 2000”, com as produções “Condessa” (2000), de Dacio Pinheiro e Denis Rodriguez; “São Paulo 2000” (2000), de Dacio Pinheiro, Daniel Zanardi e Rodrigo Garcia Dutra; “LCD 32:59” (2003) e “Carnaval” (2006), ambos de Dacio Pinheiro; “Y” (2013), de Dacio Pinheiro e Stefan Fahler (dia 09) /  “O Que É Nosso – Reclaiming The Jungle” (2014), de Jerry Clode, Murilo Yamanaka e Allyson Alapont (dia 16) / “A Orquestra Invisível e Outros DJs Pioneiros do Brasil” (2004), de Keke Toledo e Rica Mentex (dia 23). No dia 30, o encerramento da Mostra traz um debate entre Steffen, Claudia Assef (diretora do Centro Cultural Olido e autora do livro “Todo DJ Já Sambou”) e Erika Palomino (diretora do Centro Cultural São Paulo e autora do livro “Babado Forte”).

Centro Cultural Olido – Sala Spcine Olido
Dias 2, 9, 16, 23 e 30/9 (debate), às 20h. Livre. Grátis

ARTE

SEMINÁRIO DE ARTE URBANA

O Mês da Cultura Independente (MCI) realiza pela primeira vez na história do evento o Seminário de Arte Urbana. A programação promove, no sábado, dia 21 de setembro, uma série de encontros do poder público com a sociedade civil para promover troca de ideias e debater as políticas de arte urbana do município de São Paulo. As conversas apresentam três eixos principais: intervenção urbana e zeladoria, arte e educação e parcerias governo/ sociedade. Para comparecer, não é necessário fazer inscrição nem retirar ingresso. A entrada é limitada à lotação da sala.

Centro Cultural Olido
Dia 21/9 (veja os horários aqui)

FESTA

HAPPY HOUR OLIDO COM PAULO TESSUTO / FESTA CAPSLOCK 

O DJ e ex-jogador de basquete Paulo Tessuto comemora mais de uma década de discotecagens e leva sua Festa Capslock para o Happy Hour Olido. Com suas performances irreverentes, o artista colaborou com a revolução da nova fase da cena independente. Em 2014, criou o personagem Carlos Capslock que lhe deu fama nos rolês paulistanos e apresenta seu lado mais divertido e insano atrás das pick-ups.

Centro Cultural Olido – Vitrine da Dança
Dia 13/9, às 18h. Grátis

HAPPY HOUR OLIDO COM BAILE DO MISTER SAM / ESPECIAL DISCO MUSIC

O DJ, produtor artístico, radialista, apresentador e compositor argentino atua na cena musical desde os anos 1960. Entre seus remixes de sucesso, estão “Conga, Conga, Conga”, “Lindo, Tesão, Bonito e Gostosão”, “Freak le Boom Boom” e “Melô do Piri Piri”. Depois de produzir artistas como Gretchen e Ângela Maria, o DJ promove uma verdadeira festa de disco music na Happy Hour Olido. Nesta edição, que tem como convidado o DJ Almir Lima, o público poderá dançar ao som de vinis lendários dessa época.

Centro Cultural Olido – Vitrine da Dança
Dia 20/9, às 18h. Grátis

SABADÃO OLIDO COM METANOL

Extensão da rádio online de mesmo nome, o grupo, liderado pelo DJ e produtor Akin, ocupa ruas e clubes com sonoridade dançante de vanguarda. Atualmente, o coletivo Metanol ocupa o espaço público com festas gratuitas, como a bimestral Metanol na Rua, e mantém projetos mensais em casas noturnas. O coletivo de produtores musicais leva seu encontro dançante para o Sabadão do Centro Cultural Olido com um line-up embalado pela batida da música eletrônica.

Centro Cultural Olido – Vitrine da Dança
Dia 21/9, às 15h. Grátis

MÚSICA

SEMANA DA MÚSICA ELETRÔNICA

No último domingo de setembro, comemora-se o Dia Municipal da Música Eletrônica e o Centro Cultural Olido e sua Galeria do DJ prepararam uma semana inteira de atrações. Entre os dias 22 e 29, a programação conta com festas, painéis de debate, mostra de filmes, exposição de fotos e workshops. Na abertura do evento, às 15h, o Domingo Delas recebe DJs mulheres de várias épocas e estilos. O encerramento das comemorações conta com uma grande festa de música eletrônica em frente ao Olido, no Largo do Paissandu.

Centro Cultural Olido – Galeria do DJ
De 22 a 29/9, diversos horários. Grátis

REI SEM COROA

O cantor e compositor Paulo Carvalho faz uma homenagem a um dos músicos que mais o influenciou em sua trajetória artística de 20 anos, João Gilberto, que morreu neste ano. Depois de pesquisar a obra do criador da bossa nova, reuniu canções que foram apenas apresentadas ao vivo, mas nunca gravadas. Esse repertório é apresentado no show que conta com participações das cantoras Mãeana e Nina Becker, do multi-instrumentista Kassin e do guitarrista Pedro Sá.

Centro Cultural São Paulo – Sala Adoniran Barbosa
Dia 14/9, às 19h

Leia também: OS NOVOS BARES E RESTAURANTES DE IMIGRANTES QUE ESTÃO RENOVANDO A GASTRONOMIA DO CENTRO DE SÃO PAULO

CONHEÇA OS NOVOS BARES E RESTAURANTES QUE ESTÃO BOMBANDO NO CENTRO DE SP