A Vida no Centro

O que fazer na Mooca: dicas de bares e restaurantes
Publicado em:
Tempo de leitura:5 minutos

O que fazer na Mooca: um super guia de bares e restaurantes

Fizemos uma relação de diversas sugestões do que fazer na Mooca, de visitas a bares e restaurantes históricos aos locais mais descolados do momento; veja a lista

Por Ariane Cordeiro

Tradicional bairro italiano de São Paulo, a Mooca vive um novo momento, com a transformação dos antigos galpões do início da industrialização em novos bares, restaurantes e novos estabelecimentos, resgatando a tradição cultural da região.

Fundada em 1556, a Mooca é um dos bairros mais antigos de São Paulo. O nome vem do tupi, mũoka, que significa “casa de parente”. E é exatamente esse sentimento, tão peculiar, que o bairro mantém até hoje.

O bairro cresceu no início do século 20, graças à acelerada industrialização da capital, que tinha ali uma grande concentração de fábricas. Também ali se estabeleceram em massa os imigrantes italianos, que misturados aos portugueses e holandeses criaram uma culinária rica, que vem sendo resgatada e revalorizada. A cada esquina um boteco ou restaurante cheios de conversas, histórias, clássicos e surpresas.

O que fazer na Mooca

Considerada uma zona antes “desabitada”, a “Mooca-Baixa” está localizada a 2 km do Parque Dom Pedro. As indústrias, desativadas no século passado, hoje servem de abrigo a uma nova cena gastronômica pautada na qualidade e cultura, herdadas dos clássicos.

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter para ficar por dentro de tudo o que rola no centro

Um dos responsáveis por essa transformação é José Américo Crippa Filho, o Tatá. Nascido e criado na Mooca, o empresário, após um ano vivendo em Miami (nos EUA) voltou para o Brasil com uma inspiração: o bairro de Wynwood. Ele ficou admirado como, em poucos anos, o bairro se tornou referência mundial na cena cultural. “Os empreendedores locais mudaram aquele lugar. Hoje é um dos mais descolados e artísticos do mundo”, conta.

José Américo Crippa Filho, o Tatá, criador do Distrito Mooca

José Américo Crippa Filho, o Tatá, criador do Distrito Mooca

Foi assim que Tatá, que já buscava por um imóvel para empreender, passou a olhar com carinho o bairro natal. O primeiro empreendimento na região, um estúdio de tatuagem, veio em 2015. Na sequência, ele abriu o Cadillac BBQ: um restaurante com a pegada texana.

Depois disso, Tatá começou um movimento pró “Mooca-Baixa” que culminou na fundação da associação “Distrito Mooca”. A proposta é um convite a comerciantes, turistas e moradores para conhecerem a região, estimulando assim a economia criativa e empreendimentos locais. “A arte está em descobrir novos caminhos e novos lugares. São Paulo é muito grande para se resumir em dois ou três bairros. É hora de expandir o conhecimento e o pensamento comercial”, afirma.

Chef Fellipe Zanuto, criador de casas como Hospedaria, A Pizza da Mooca e Cantina

Chef Fellipe Zanuto, criador de casas como Hospedaria, A Pizza da Mooca e Cantina

De 2015 para cá, a região ganhou novos estabelecimentos, como o restaurante Hospedaria e A Pizza da Mooca, ambos do empresário e chef Fellipe Zanuto. O jovem comanda ainda o novo café do Museu da Imigração, nas proximidades, o Cantina. Há ainda um espaço de coworking e um hostel, da empreendedora e designer Patrícia Valera. Ela e seus dois sócios abriram recentemente, também, o BTNK: um bar instalado em um imóvel da década de 1920 (indicado nesta matéria). O movimento vem ganhando força e novos adeptos: em breve Cristiane Seixas, também empresária do ramo, trará o seu Boutique Vintage Brechó Bar para a região, com inauguração prevista para março.

LEIA TAMBÉM
Bares e botecos japoneses: veja as dicas para o happy hour na Liberdade
Bar dos Arcos: conheça o novo bar no subsolo do Theatro Municipal; veja fotos

Conhecer a Mooca é como entrar em um livro de história ou em um vagão de trem. Então, chega de conversa e vamos percorrer por toda a extensão. Partimos dos trilhos da CPTM (estação Mooca-Juventus) e do metrô: estações Bresser-Mooca e Belém (Linha Vermelha) e Vila Prudente (Linha Verde), para mostrar que é possível o clássico e o moderno interagirem como em nosso querido Centro. E bem pertinho dele. Portanto, com todo o respeito aos mais experientes, abrimos nossa lista de indicações. Pegue o papel e a caneta, ou o celular, e mapeie esses lugares!

MOOCA BAIXA – A TRADIÇÃO 

Cannoli do “Seu” Antônio

Um dos maiores sucessos da Mooca, assim como o time Juventus, o cannoli do “Seu” Antônio é tradição. E como em time que ganha não se mexe, vamos até o estádio Conde Rodolfo Crespi, mais conhecido como estádio do Juventus, para conhecer essa iguaria. A receita de família é feita pelo próprio Antônio. Há mais de 50 anos ele faz e vende os cannolis na porta do estádio. Por dia, são vendidas de 400 a 600 unidades, depende do clássico em campo. É que a barraquinha do Seu Antônio fica na porta do estádio. As delícias saem no sabor tradicional, de creme de baunilha (R$ 5,00), e nas versões gourmetizadas “a pedido da clientela”, que levam recheios de doce de leite e brigadeiro de nutella (R$ 7,50, cada).

Antonio Paulinho, filho de Seu Antonio

Endereço: Rua Javari, 117
Horário de funcionamento: aos sábados e domingos, 12h às 18h, e em dias de jogos no Estádio Conde Rodolfo Crespi.
Telefone: para eventos e delivery (11) 99330-6630

Di Cunto

A matriz da casa, instalada em um complexo do século 19, funciona no mesmo endereço desde 1935. É uma das mais tradicionais doçarias de São Paulo. A variedade de doces é impressionante, assim como o sabor de cada quitute. É difícil propor uma preferência, até mesmo para os funcionários mais antigos da casa. Mas, um dos destaques é a torta Regina, com fios de caramelo. Dá para levá-la para casa inteira ou comer uma fatia (R$ 92,40, kg). Há também diversas opções de pães italianos, ciabattas, paninis, sanduíches, salgadinhos, compotas e pizzas expostas no balcão. Ideal para tomar um chope enquanto conversa ou mesmo vai conhecendo toda a extensão do balcão. Os preferidos do público são as coxinhas (R$ 2,75, unidade) e as esfihas (R$ 3,85, unidade). O restaurante, ao lado, é aberto de segunda-feira aos domingos. Propício para um bom almoço regado a molhos caseiros que banham os parmegianas, lasanhas ou nhoques recheados de queijo: os carros-chefes da cozinha. A casa possui três filiais, uma também na Mooca, no Mooca Plaza Shopping.

Endereços: Rua Borges de Figueiredo, 61/103 (matriz) e Rua Capitão Pacheco e Chaves, 313 (filial – Mooca Plaza Shopping)
Horário: de segunda-feira, das 12h às 19h. De terça aos sábados, das 9h às 19h. E, aos domingos e feriados, das 08h30 às 18h
Telefone: (11) 2081-7100

Esfiha Juventus

Localizada no mesmo estabelecimento desde 1967, a Esfiha Juventus é um clássico. A clientela fiel foi construída por anos, de geração para geração. E pode começar pedindo uma de carne temperada (R$ 4,90) ou de queijo branco fresco (R$ 5,80). Há também novidades como a de queijo de cabra e a de coalhada com cebola frita. Há também opções de kibes, beirutes (como o “Monstrão” que serve até quatro pessoas), pastas e pratos tradicionais da culinária árabe, como cordeiro, kaftas, hommus, babaganuche e diferentes opções de shawarma. Para beber, um chope gelado tirado no balcão. Há quatro meses, a casa inaugurou o salão no piso superior, somando 300 lugares. Para os mais botequeiros, o balcão é uma boa pedida.

Endereço: Rua Visconde de Laguna, 152
Horário: de segunda a segunda-feira, das 10h30 às 23h30
Telefone: (11) 2796-7414

Pizzaria São Pedro

Há 53 anos, a pizzaria é um ícone da região e considerada uma das melhores da capital. Entre as mais pedidas estão a Marguerita (molho de tomate, mussarela, manjericão, gratinada com parmesão e azeitonas), que também pode ser pedida com mussarela de búfala, e a do Chefe I (molho de tomate, mussarela, presunto, rodelas de tomate, azeitonas gratinadas com parmesão). O salão é uma opção para comer as redondas fresquinhas. Os espíritos mais botequeiros, ou os apressados, podem aproveitar o balcão onde é possível degustar pizzas individuais de todos os sabores, com 25 cm de diâmetro.

Endereço: Rua Javari, 333
Horário: de terça a quinta-feira, das 11h às 15h e das 17h30 às 23h. Às sextas-feiras a casa abre das 11h às 15h e das 17h30 às 00h00. Aos sábados e domingos apenas no jantar, das 17h30 às 00h00 (aos sábados) e às (23h30) aos domingos
Telefone: (11) 2291-8771
 

Baixo Mooca – A novidade

Javari StrEat Park 

Em frente ao Estádio do Juventus o recém-inaugurado Javari Streat Park é uma boa opção para quem quer curtir uma tarde diferente. Com uma área aberta com mesas e sofás, o espaço possui três diferentes opções para comer: uma hamburgueria (com opções artesanais e hambúrgueres vegano e vegetariano), uma pizzaria e um bar com porções e petiscos de boteco, chope, cervejas e drinques. O chope é encontrado em versões de India Pale Ale (IPA), American Pale Ale (APA) e American Lager (pilsen). Tudo é artesanal. Aqui, além de comida e bebida de boa qualidade há música ao vivo, nos finais de semana, e os pets são bem-vindos.

Endereço: Rua Javari, 112 (em frente ao Estádio do Juventus)
Horário de funcionamento: de quinta a domingo, das 11h às 22h. A partir de 1º de fevereiro, abrirá de terça a domingo, no mesmo horário
Programação nas redes sociais: Javari Streat Park, @javaripark

Cadillac BBQ 

Um pedaço do Texas na Mooca. Com o slogan “low e slow”, a casa oferece comida preparada de maneira lenta e saborosa, com base nos churrascos texanos do Velho Oeste americano. Ao entrar no Cadillac BBQ, o salão chama a atenção pelo ambiente rústico, com uma churrasqueira à lenha específica para manter a temperatura dos alimentos, cozidos e defumados lentamente. De um grande balcão saem drinques e chás gelados especiais, como Hard Western Tea (base de chá preto com raspas e suco de limão siciliano). Mas, é do lado de fora que está uma das boas surpresas: um ônibus GMC, de 1950, e um grafite gigante de um índio norte-americano feito pelo artista Sipros Naberezny (@sipros_sipros).

No espaço externo, há ainda mesas e sofás para as noites quentes e mais duas churrasqueiras de onde saem os deliciosos pratos. No cardápio, o destaque está para o combo individual composto por brisket, costela de porco, frango e mix de linguiças. O prato é acompanhado por salada de repolho (coleslaw), macarrão com queijo (mac&cheese), feijões (sweet baked beans), picles e um bolo de milho. Todos os itens preparados no estilo norte-americano. O almoço de segunda a sexta tem uma versão executiva. Para beber, entre as opções alcoólicas, há diversos drinques autorais como o Dakota, com tequila, suco de lima da pérsia, xarope de mel, Aperol e amora.

Endereço: Rua Borges de Figueiredo, 60
Horário: de terça a quinta-feira, das 12h às 15h e das 19h às 23h. Às sextas-feiras, a casa abre das 12h às 15h e das 19h às 23h30. Aos sábados das 12h às 00h00. E, aos domingos, das 12h às 17h
Telefone: (11) 2309-0484
Facebook e Instagram: Cadillac BBQ e @ cadillacbbq

Hospedaria

Qual a verdadeira comida caseira paulista? O proprietário e chef Fellipe Zanuto, passou um ano estudando para chegar à resposta: a comida que comemos em casa. Neto de italianos e mooquense, o chef “caiu nos livros” para entender a comida que as avós faziam. A comida do Hospedaria representa o imigrante paulista. E a maneira que o chef a representa é de encher os olhos e a boca d´água. Entre os destaques estão o risoto do imigrante (com arroz agulhinha, frango, costela de porco assada a lenha, creme de abóbora, palmito, ervilha, legumes tostados, queijo meia cura e ovo mole) e o milanesa (bife bovino à milanesa – sequinha e estupenda –, acompanhado de maionese de batata e agrião). Para sobremesa, fique com o delicioso bolo de coco embrulhado no papel alumínio, geladinho e com sabor de infância. Para beber, há refrescos próprios, como o chá mato, que leva capim santo e maracujá. Entre os alcoólicos, destaque para o drinque Engenho com tangerina, limão, hortelã e cachaça.

Endereço: Rua Borges de Figueiredo, 82
Horário: de terça a quinta-feira, das 12h às 15h e das 19h às 23h. Às sextas-feiras, a casa abre das 12h às 15h e das 19h às 23h30. Aos sábados, das 12h às 16h e das 19h às 23h30. E aos domingos, das 12h às 16h
Telefone: (11) 2291-5629

 A Pizza da Mooca

Inaugurada em 2011, na Rua Guimbé (também na Mooca), em 2018 a casa mudou para a Rua da Mooca e segue o estilo napolitano. Logo que a abriu, o chef e proprietário Fellipe Zanuto, teve que acostumar o paladar dos brasileiros a essa iguaria italiana. Primeiro que, inicialmente, a casa seguia à risca as versões reduzidas de mussarela e marguerita, como na região de Nápoles, na Itália. Depois, com o tempo, e a pedidos, o chef incluiu diferentes sabores que levam catupiry e diferentes tipos coberturas e molhos. A mudança está bem clara no cardápio: com as pizzas divididas nas versões “originais” e “modernas”. Na primeira opção, o carro-chefe é a Marquerita (molho de tomate, mozzarela branca, manjericão e azeite extra-virgem). Já na segunda opção, a criatividade surpreende com sabores inusitados e boas misturas, como a de Funghi (que leva molho bechamel, misto de cogumelos frescos e queijo caciocavallo). Há ainda opções totalmente veganas. Para beber, cervejas especiais, chope, drinques alcoólicos, sucos e o tradicional chá da casa.

Endereço: Rua da Mooca, 1747
Horário: de segunda a quinta-feira, das 18h às 23h. Às sextas-feiras e aos sábados, a casa abre das 18h às 23h30. E, aos domingos, das 18h às 22h30
Telefone: (11) 3571-1221

Cantina

Desde o 2º semestre de 2017, que a cafeteria, instalada dentro do Museu da Imigração, ganhou um novo proprietário e uma nova roupagem. É que após meses frequentando o museu para os estudos sobre imigrantes (para formar o cardápio do Hospedaria) o chef Fellipe Zanuto se interessou pelo local. Ao descobrir que a concessão atual ia acabar ele entrou na disputa. Com o projeto aprovado ele começou a reforma física e, claro, do cardápio. Hoje, o visitante do museu encontra opções caseiras, como o pão da casa, servido na chapa com manteiga, cookie de chocolate, bolo de banana com chocolate, pão de queijo, bolo de milho, cheesecake com cobertura de geléia de frutas vermelhas, waffle no estilo norte-americano, com mel ou manteiga, e pizza romana. Para beber, diversas opções de cafés: simples, preparados, com leite de vaca ou de soja, e gelados. Nos brunches servidos aos sábados, domingos e feriados, há opções como o Cantina, com linguiça caseira, cogumelos, espinafre, ovo mole e pão da casa (R$ 22,00); o Rancheiro, com pão brioche, chili, ovo mole e queijo (R$ 24,00); e o Maquinista (waffle e calda de frutas vermelhas caseiras, pasta de amendoim e iogurte (R$22,00). Há um elegante e confortável espaço interno com poltronas e bancos em couro e uma área externa com guarda-sol e cadeiras com vista para o charmoso jardim do Museu. Boa pedida para levar a família e passear em um final de semana.

Endereço: Rua Visconde de Parnaíba, 1316
Horário: de terça-feira aos sábados, das 09h às 17h, aos domingos das 10h às 17h

Carburadores 

Comandado por Alexandre Galindo e Erika Onomura, o espaço foi o resultado de cinco trabalhando com eventos fechados. Os sócios levavam churrasco para toda a cliente. Hoje, com a casa própria a proposta continua sendo levar assados e defumados de primeira qualidade para os clientes. O aroma e o sabor das carnes são de alimentar qualquer fome. No cardápio, destaque para o carré de cupim, suculento e que desmancha ao toque (com a mão ou com o garfo). Nos finais de semana, há uma programação com música ao vivo. E, aos domingos, um chef amigo é convidado para o desafio “chumbo trocado”, no qual ele “pilota os carburadores” da cozinha. A casa respira fumaça e arte: seja nas carnes na brasa, nas paredes grafitadas ou mesmo nas inúmeras tatuagens dos donos. Vale a visita e o retorno.

Endereço: Avenida Paes de Barros, 806
Horário: de quarta a sexta-feira, das 12h às 15h e das 18h às 23h. Ao sábado das 12h às 23h. E domingo das 12h às 16h
Telefone: (11) 4106-2226

Borgo 

Localizada em um sobrado em frente ao Clube Atlético Juventus, é uma casa simpática, elegante e descolada.  É comandada pelo proprietário e chef, Matheus Zanchini, que acompanha a situação na casa inteira: da cozinha às mesas, nas quais ele passa conversando, perguntando ou indicando a opção de vinho mais adequada. Tem área interna e externa, que pode ser reservada para eventos. A proposta é parecer uma casa de verdade, um lugar familiar e aconchegante para uma boa refeição. O cardápio é enxuto e é alterado quando o dono define. Atualmente, há quatro opções de entradas, três de pratos principais e duas de sobremesas. A carta de vinhos é selecionada a cada mês de acordo com a temperatura e os pratos da estação. Uma novidade: o andar de baixo, onde era a dispensa da casa, foi recentemente aberto ao público e funciona como bar ou ponto para compra de pães, antepastos e charcutaria. Há também o famoso frango assado de padaria, que pode ser consumido no local ou embalado para viagem. O galeto é assado na brasa e vem acompanhando de batatas bolinhas e tomates orgânicos.

Endereço: Rua Comendador Roberto Ugolini, 129
Horário: às quintas-feiras, das 18h30 às 22h30. As sextas e aos sábados, das 12h às 16h e das 18h30 às 22h30. E, aos domingos, das 12h às 16h
Telefone: (11) 97574-3213

Rudá

Cansada de se deslocar para ter opções diferenciadas no almoço, a chef Daniela Lopes decidiu abrir o próprio estabelecimento – e assim surgiu o Rudá. Nascida e criada na Mooca, a chef contou com o apoio e a ajuda da família para criar o que ela define de “confort food”, ou comida que expressa sentimento e traz conforto. As refeições são heranças de família e das lembranças mais intimistas, como o Bacalhau da Vó Edite (receita da avó da chef que chega à mesa com lascas de bacalhau acebolado, cobertas com bolinhas de purê de batata e molho branco gratinado). O prato tem também com brócolis salteado com alho e é o único prato do cardápio a servir duas pessoas. Entre as opções à la carte de destaque está a Jambalaya vermelha de frutos do mar (com arroz vermelho, camarões, lula, mexilhão, polvo, vôngole, castanha do pará, calabresa e especiarias – picante). Durante a semana, a casa apresenta a opção de buffet (R$ 59,90 kg ou R$ 49,90 à vontade). Durante a semana, há ainda almoços executivos em dois ou três tempos, com entrada ou salada, prato principal e sobremesa.

Endereço: Rua Guaimbé, 742
Horário: No almoço – de terça a sexta-feira, das 12h às 15h. Sábados, domingos e feriados das 12h às 16h. No jantar: de quarta e quinta-feira, das 19h às 22h. Sextas, sábados e feriados das 19h às 23h.
Telefone: (11) 2361-9916

Cadillac Burguer

O Cadillac Burguer, comandado pelo empresário Tatá, também do Cadillac BBQ, é uma das primeiras hamburguerias a propor uma carne “grass fed” do Brasil. O que isso significa? A carne bovina é selecionada de gados que se alimentam apenas de pasto. Entre as opções do cardápio estão o Distrito Mooca (hambúrguer grelhado com mix de cogumelos salteados, queijo gratinado e rúcula, servido no pão de cebola), o Fat Boy Mooca (hambúrguer de costela bovina grelhado, molho barbecue artesanal, cebola caramelizada no rum e cheddar inglês) e o Veggie Burguer (hambúrguer feito com grão de bico, aveia, quinoa real e curry, servido com rúcula e tomates). Todos os vegetais são orgânicos e muitos deles saem da horta aquapônica cultivada no local. A casa conta ainda com porções, como a de batatas fritas e onion rings, hot dogs e milk shakes. Estes últimos feitos com sorvete artesanal e leite “grass fed” e são encontrados nos sabores de laranja, frutas vermelhas, chocolate e baunilha.

Endereço: Rua Juventus, 296
Horário: de terça a quarta-feira, das 12h às 15h e das 19h às 23h. Às sextas-feiras, das 12h às 15h e das 19h às 23h30. Aos sábados das 12h à meia-noite e aos domingos das 12h às 23h
Telefone: (11) 2273-8074

Hot Rod Dog

Lanchonete especializada em cachorro-quente, com decoração inspirada nas autoestradas americanas e hot rods (veículos da década de 20, 30 e 40). Inaugurada em 2015, a casa é comandada pelo paulistano Alexandre Brazales e sua mulher. O ambiente é colorido, com paredes cobertas por fotos e pôsteres de viagens do proprietário, que é guia turístico desde 1998, cobrindo trajetos específicos da lendária Route 66 norte-americanas (por trechos preservados entre os estados da Califórnia, Arizona e Oklahoma), e outros roteiros, como pelas montanhas da Califórnia e um de sete dias de Los Angeles à Las Vegas. Toda a experiência nas pistas resultou no cardápio do bar.

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter para ficar por dentro de tudo o que rola no centro

No estilo dinner norte-americano, a casa oferece sanduíches hot dog com salsichas e linguiças artesanais e acompanhamentos com um toque mexicano. Entre os destaques estão o Hot Rod Dog, com salsicha suína, chili beans com carne, molho apimentado, guacamole e as pimentas pico de gallo e jalapeño (R$ 28,00) e Bacon Dog, com salsicha suína, bacon, mollho BBQ da casa e o queijo Monterey Jack (R$ 27,00). Para beber, chá gelado, sucos naturais e refrescos, como a Pink Lemonade. Esporadicamente, de acordo com a agenda dos amigos DJs, a casa realiza discotecagens. A programação pode ser conferida nas redes sociais da casa.

Endereço: Rua Guaimbé, 302
Horário: de quarta a sexta-feira, das 18h às 23h. Aos sábados, das 13h às 23h. E, aos domingos, das 13h às 22h

Bar do Pescador

Presente há 60 anos na mesma esquina, o bar do Pescador é aquele boteco de bairro que todo mundo gosta. Comandado por Rui de Almeida (há dois anos) e, há 50 anos, por Luiz Carlos Guilhardi, o Luizinho (da família do fundador), o bar serve almoços executivos a preços populares durante a semana, feijoada às quartas-feiras e aos sábados, e opções de coxinhas, porpetas, pasteis e bolinhos de bacalhau que saem individuais ou em porções. Outras boas pedidas são as porções de peixes. Destaque para as opções de manjubinha, cação, pescada branca e linguado fritos. Tudo muito bem fresco e sequinho. Para beber, cervejas de 600 ml, que saem trincando do freezer para as mesas ou balcão. Há também opções de caipirinhas e sucos naturais.

Endereço: Rua Dr. João Batista de Lacerda, 750
Horário: de segunda-feira, das 10h às 16h. De terça a sexta-feira, das 10h à meia-noite. Aos sábados, das 10h às 20h. E, aos domingos, das 10h às 18h

Food Park Lazy

Um dos espaços mais verdes do bairro, tem árvores, como uma romanzeira no meio do pátio, e diversas samambaias e outras plantas pelo estabelecimento. Com ar fresco e decoração jovial, o food park é uma boa opção para os moradores da região, principalmente para encontros de jovens nas tardes nos finais de semana. Para comer, opções de hamburgueria, charcutaria, pizzaria, cafés e brunchs. Há três opções de brunch. O destaque é o nº I, com ovos mexidos, bacon, linguiça caseira, baguete, manteiga e panquecas caseiras no estilo americano, acompanhadas de banana, mel, calda de frutas vermelhas e chantilly (R$ 29,00). Para beber, frapuccino com caramelo e chantilly (R$19,00). Entre as opções alcoólicas está a jarra de sangria (R$ 59,00).

Endereço: Rua Itabaiana, 727
Horário: de segunda a quinta-feira, das 17h30 às 00h00. Às sextas-feiras, das 17h30 às 00h30. Aos sábados das 11h às 0h30. E aos domingos, das 11h às 23h
Telefone: (11) 3729-3448

OS MAIS NOVOS DO PEDAÇO

BTNK

O recém-inaugurado BTNK é, na verdade, um velho conhecido na região. Ele funcionou como bar por um ano e meio, às sextas e sábados, em um vagão adaptado no Espaço dos Trilhos, local de eventos próximo à linha da CPTM do trem. Comandado pelos sócios Ian Haudenschild, Patrícia Valera e Lucas Carrat, o estabelecimento é uma homenagem à geração beat, fenômeno cultural da década de 50 nos Estados Unidos, liderado por Jack Kerouac, Allen Ginsberg e William S. Burroughs. O endereço atual faz referência ao vagão, que consolidou a casa e que transportava os personagens de Kerouac. A casa foi instalada em um imóvel no qual abrigou uma antiga fábrica na década de 20. A decoração foi doada por amigos e clientes e cada item tem uma história, com uma etiqueta que a descreve.

A casa possui 80 lugares sentados e um amplo salão para dançar ao som de bandas de jazz e blues. A programação ao vivo pode ser consultada pelas redes sociais do espaço. Na carta de drinques há opções autorais e clássicas. Entre as elaboradas lá mesmo está o 779 (menção ao número da casa) que leva gin, xarope de cardamomo, tônica artesanal (feita na casa), tangerina e zimbro; e o Beat Mule, uma releitura do Moscow Mule, feita com uísque, xarope de pimenta, suco de limão, sidra artesanal e espuma de cítricos. Para comer, releituras de sanduíches como o Meat Paradise, inspirado no lanche de 1920, da Philadelphia. A versão, elaborada pelo chef da casa, leva alcatra, creme de provolone e cogumelos na baguete. No balcão há ainda um telefone com um áudio book do clássico livro “On the Road”.

Endereço: Rua Tobias Barreto, 779
Horário: de quinta-feira a domingo, das 18h às 02h

Gorilla

De food truck (iniciado em 2014) bem-sucedido a uma hamburgueria reconhecida pelos hambúrgueres suculentos. É assim que o Gorilla é conhecido. Toda a matéria-prima usada na casa – incluindo as carnes – é entregue todos os dias por fornecedores previamente selecionados. Todos os produtos são orgânicos e frescos. Até o pão leva uma fermentação natural, deixando o hambúrguer “mais leve”. Além do hamburguer, carro-chefe da casa, há também opções de saladas, como a Gorila, composta por um mix de folhas verdes orgânicas, broto de alfafa, tomate cereja, meia lua de abóbora assada, fatia de abacaxi levemente grelhado e queijo gorgonzola. Acompanha molho de vinagre balsâmico com mel e uma proteína de hambúrguer de carne bovina, frango ou vegana (R$ 27,00).

Entre os hambúrgueres uma boa pedida é o Kong, com carne bovina de 160g, cheddar nacional, picles, maionese da casa, alface orgânica e shimeji servido no pão australiano (R$ 30,00). E duas opções veganas, uma que leva quinoa, molho pesto da casa, rúcula e abobrinha grelhada e outra com hambúrguer de beterraba, queijo prato e sour cream. Há duas opções veganas no cardápio. Hoje, o serviço de food truck ainda é realizado em eventos fechados com uma equipe preparada para atender aos pedidos. Para beber, cervejas artesanais. Entre as opções não alcoólicas está o refresco da casa, com xarope de gengibre natural feito na casa e água gaseificada (R$ 10,00).

Endereço: Rua Guaimbé, 439
Horário: de terça-feira aos sábados, das 12h às 15h e das 18h à meia-noite. Aos domingos, a casa abre das 18h às 23h
Telefone: (11) 2606-5935

2 Hype

Há dois anos, o espaço funciona como uma galeria de arte urbana. Com o formato de vila, abriga uma loja de street wear, uma cafeteria, um brechó de roupas de marcas nacionais e gringas, um bar com drinques autorais, uma hamburgueria, uma barbearia vintage (aberta apenas em eventos específicos), um estúdio de tatuagem e um player com fliperamas e pinball. É um espaço para chegar com os amigos ou a família. Na carta de drinques há opções autorais, com bases de gin e tônica, como o 2 Hype GT (com gin, tônica, carvão ativado, flores cultivadas pela bartender e limão siciliano) e o GT Soft Love (com gin, tônica, anis estrelado, canela em pau e twist de laranja Bahia).

Para comer, porções de dadinhos de mandioca (R$ 24,90), espetos de carne bovina, frango, linguiça, kafta e queijo coalho (preços e opções a consultar no dia), e hambúrgueres especiais como o Cássia Eller, com pão brioche, 2 hambúrgueres de fraldinha – 180g cada, queijo prato, bacon, alface, tomate, cebola celada, maionese da casa e acompanhado de fritas (R$ 39,90), e o Jay Adams, com pão australiano, 180g de hambúrguer de fraldinha, cheddar, bacon, cebola caramelizada, rúcula e maionese da casa (R$32,90). NOVIDADE: a partir de fevereiro, de segunda a sábado, a casa passa a abrir mais cedo com opções de almoço executivo. No espaço também serão realizadas discotecagens. A programação pode ser conferida nas redes sociais.

Endereço: Avenida Paes de Barros, 1760
Horário: de quarta-feira e quinta-feira, das 16h à 1h. De sexta-feira e sábado, das 16h às 3h. E, aos domingos, das 15h à 1h (após a abertura para os almoços, os horários de funcionamento serão alterados)
Telefone: (11) 3796-0539

Queridinhos e “diferentões”

CATETO – Beber e Comer Artesanal

Inaugurado em 2013, o CATETO é um espaço com aroma de comida artesanal. Com um ambiente rústico, como nos velhos armazéns da capital, a casa recebe descolados de todas as regiões de São Paulo. A cozinha é à base de charcutaria e queijos artesanais.  São diversas opções de linguiças, salames e presuntos e demais embutidos e curados. A charcutaria é levada a sério no local. No balcão, há peças curadas, principalmente aquela com base na carne de porco, como lombo, chorizo Cantimpalo, Fuet, Chistorra, Sobrasada Mallorquina e Copa Curada. Para beber, cervejas artesanais e chopes da melhor qualidade. O sucesso da casa rendeu a abertura de uma filial no bairro de Pinheiros.

Endereço: Rua Fernando Falcão, 810
Horário: de quarta e quinta-feira, das 18h às 23h. As sextas-feiras, das 18h à meia-noite. Aos sábados, das 13h à meia-noite, e aos domingos, das 13h às 23h
Telefone: (11) 2367-7521

Moocaires

O argentino Christian Galarza mudou-se para o Brasil em 2000 e foi no bairro da Mooca que se estabeleceu com a sua família. Em 2007, ele viu uma oportunidade de empreender e alugou um espaço na Rua da Mooca. No início, montou um café para servir as receitas de empanadas argentinas. Porém, ele descobriu muitos gostam de tomar café de manhã na padaria. Conversando justamente durantes os cafés na padaria, Christian descobriu que brasileiro gosta é de cerveja bem gelada. Por isso, depois de oito meses, o estabelecimento virou um bar. Na sequência veio o novo nome: Moocaires, uma junção dos dois amores do dono, Mooca e Buenos Aires.

Depois da Copa do Mundo de 2010, a casa virou um ponto de referência para muitos paulistas e argentinos. Na decoração, vale até uma cabeça gigante do ídolo Maradona, camisetas e um ambiente inteiro pintado representando a El Caminito, lugar turístico em Buenos Aires onde está localizado o estádio La Bombonera, do Boca Juniors (time do coração de Christian). O destaque do cardápio são as empanadas, que saem quentinhas do forno a cada pedido. A massa fina e crocante recebe diversos sabores, como o de carne picante, queijo com cebola e 4 queijos. Há também boas opções de porções de carnes com cortes e preparos típicos argentinos, como o bife ancho, chorizo e o bife de tira (costela de boi). Para beber, cervejas Quilmes e Patagônia.

Endereço: Rua da Mooca, 3593
Horário: de terça a quinta-feira, das 18h às 23h. Às sextas-feiras, das 12h às 15h e das 18h às 00h00. Aos sábados das 12h às 01h e aos domingos das 12h às 22h
Telefone: (11) 2604-2337

Quintal da Vó 

A casa foi construída em 1930 pelo bisavô de Mariana, e, após o falecimento de sua avó, Dona Durcillia, a atual proprietária quis homenagear a nona. Segundo Mariana, a avó adorava receber visitas. “Foi assim a vida toda. Ela preparava os almoços, cafés da tarde, jantares e até recepção de casamento”, conta. No primeiro momento, Mariana pensou em abrir no espaço uma cafeteria ou uma casa de chá, mas a sommelier de cervejas decidiu adequar o gosto da avó com o dela. À frente da casa, ela decorou todo o estabelecimento com fotos e objetos de família, como uma máquina de costura e uma vitrola, que pode ser utilizada pelos clientes. As memórias afetivas de Mariana são realçadas com um cantinho com jogos dos anos 1980, que podem ser usados, gratuitamente, pelos clientes da casa. Há uma área interna, externa e um espaço kids, onde as crianças podem brincar e pular à vontade enquanto os pais apreciam delícias do cardápio, como bolinho de arroz, sanduíche de carne louca, pudim e bolinhos de chuva – todas receitas da avó. A casa oferece também uma carta especial com opções de cervejas e chope artesanais.

Endereço: Rua Dr. João Batista de Lacerda, 621
Horário: de quarta e quinta-feira, das 17h às 22h. As sextas-feiras e aos sábados, das 17h às 00h00
Telefone: (11) 3624-6721

Box do Vinho

Um dos points mais charmosos do bairro, o Box do Vinho abriu às portas há 17 anos. Na época, de acordo com o proprietário, Léo, a região não tinha um lugar para sentar, comer um petisco e beber um vinho. O pequeno salão de esquina, com mesas dentro do espaço e na calçada, é um ponto de encontro diário de moradores da região e de clientes que vem de outros bairros. É possível escolher entre as opções de vinhos e espumantes que ficam nas prateleiras. Todos os dias Léo prepara e serve um petisco diferente. Entre eles, a burratta (com queijo de búfala, jámon, azeite extra-virgem e ervas finas) e bolinhos de bacalhau. Nos finais de semana, o almoço é uma boa pedida para os amantes de frutos do mar. Aos domingos são servidas opções como a feijoada de frutos do mar e a Mooqueca (nome em referência ao bairro) feita com Saint Peter e azeite de oliva.

Endereço: Rua Porto Alegre, 336
Horário: de segunda-feira, das 16h às 20h30. De terça a sexta-feira, das 10h30 às 20h30. Sábados das 10h30 às 20h e aos domingos, das 9h às 13h30.

Clássico é clássico e vice-versa

Padaria Carillo

Há 107 anos essa pequena fábrica opera manualmente e da maneira mais tradicional possível. É assim que, diariamente, é produzida uma quantidade enorme de pães italianos.  Hoje, a casa é comandada pelos bisnetos do fundador, os irmãos Gabriel e Guilherme Carillo. Com o falecimento do avô, em 2008, Guilherme viu o negócio em suas mãos. Ele e o irmão, recém-chegado de um intercâmbio na Europa, decidiram tocar o que a família não quis. Ambos têm cerca de 30 anos e incrementaram a produção incluindo pães recheados, como o de calabresa, e opções terceirizadas de pastas, biscoitos, doces e sucos integrais de uva. A novidade é a abertura da Taberna Carillo, em janeiro. Nela são servidos brunch, refeições e sobremesas. A casa é conhecida também por alimentar os baladeiros de plantão, já que a padaria abre às 4h aos sábados e domingos.

Endereço: Rua Demétrio Ribeiro, 29
Horário: de terça a sexta-feira, das 8h às 20h. Aos sábados das 4h às 20h e aos domingos das 4h às 15h
Telefone: (11) 2605-4045

Bar do Elídio

Fundado em 1959, o bar, que há 15 anos tem uma filial no Mercadão Municipal, é uma das referências na Mooca. É um clássico boteco daqueles em que é possível ficar horas sem perceber o tempo passar. Além de bater um papo agradável com o garçom, Seu Toninho, conhecido como Tatu – funcionário da casa há 37 anos -, você também saborear diversos petiscos e antepastos do buffet (R$ 98,00 kg). Entre eles, bolinhos de bacalhau, de carne, abóbora com carne seca e uma vasta variedade de queijos, linguiças, salames, compotas e pasteis. São mais de 60 opções. Um dos destaques da casa é a feijoada, servida às quartas-feiras, aos sábados e domingos. Sai por R$ 110,00 e serve até 3 pessoas. O chope é servido sempre bem gelado.

Endereço: Rua Isabel Dias, 57
Horário: de terça-feira, das 17h às 23h30. Quarta-feira, das 11h às 23h30. Quinta e sexta-feira, das 17h às 23h30. Aos sábados, das 11h30 às 23h30. E, aos domingos, das 11h30 às 18h

Voltando ao ponto zero

Gran Vegano

Localizado em frente ao marco zero da Mooca, entre as Ruas da Mooca, Orátorio e Avenida Paes de Barros, a casa é um ponto de encontro para veganos e vegetarianos. De segunda a sexta é servido o buffet entre 11h30 e 15h. Entre as diferentes opções do cardápio está a moqueca de casca de banana. O buffet custa R$ 45,00 kg ou R$ 35,00, comendo à vontade. No período do jantar, o espaço serve os hambúrgueres e sanduíches, todos com a base de soja. O mais pedido é o Vira-lata, preparado em uma baguete francesa, o lanche leva linguiça de calabresa vegana com cebola, alface crespa e maionese da casa (R$ 25,00).

Endereço: Rua do Oratório, 29
Horário:
Almoço: de terça a domingo, das 11h30 às 15h. Jantar: de terça a quinta-feira e aos domingos, das 18h às 22h. Sextas e sábados das 18h às 23h